Prefeito de Pacajá e Presidente da AMUT Chico Tozetti participou da II Marcha em Belém junto com os demais prefeitos do Pará

0

A pauta da AMUT (Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém Cuiabá e Região Oeste do Pará), contou com 23 itens de reivindicações essenciais para o desenvolvimento da região.

Chico Tozetti prefeito de Pacajá e presidente da AMUT enfatizou que a região Amazônia precisa de uma atenção especial do Governo Federal, pois os municípios Paraenses e em especial os representados por ele, tem suas particularidades e a população necessita de obras e serviços essenciais para que possam ter qualidade de vida.

A II Marcha em defesa dos Municípios Paraenses, aconteceu nesta sexta-feira (18), no hotel Princesa Louçã.

A reunião foi dividida em duas partes. No período da manhã os prefeitos usaram a palavra onde relataram o estado dos municípios. À tarde ficou para as palestras, prestações de contas, leis foram apresentadas de autoria do Executivo que venha beneficiar os cidadãos paraenses.

O evento foi promovido pela Federação das Associações dos Municípios Paraenses (FAMEP), e contou com a presença dos prefeitos: Jociclélio Macedo, de Belterra, Prefeita de Placas, Raquel Brandão, prefeito de Brasil Novo, Alexandre Lunetti, Nélio Aguiar, prefeito de Santarém e presidente da FAMEP.

Segundo o prefeito Chico Tozetti, os prefeitos que integram a AMUT, também estarão presentes na Marcha Nacional que acontece em Brasília no dia 21 de maio, onde os prefeitos que estão participando desse movimento municipalista, solicitarão uma reunião com o presidente da república Michel Temer, para juntos achar um caminho que leve o Pará a sanar suas demandas, que traz transtornos à população paraense.

“As reivindicações da AMUT são  semelhantes aos dos demais municípios  de todas as regiões  do Pará, pois a cada dia, o Governo Federal impõe suas responsabilidades  para os estados, que por sua vez, municipaliza para as prefeituras, estrangulando as gestões  municipais, que não  tem recursos suficientes  para manter nem os serviços essenciais  de seus municípios, mas somos nós que estamos em nossos municípios, sofrendo as pressões do povo, que protesta claro, com toda razão, então, temos de lutar para reverter essa situação e isso tem de ser feito em Brasília”, disse Tozetti.

Outras pautas importantes que será levada pela  AMUT a esfera Federal são: a regularização  fundiária urbana e rural,  manutenção  das estradas e vicinais via Incra; aumento do valor pago por aluno no Transporte Escolar e Merenda Escolar em função  da precariedade  da Região  da Transamazônica, Santarém-Cuiabá  e Xingu; pavimentação  asfáltica da BR 422, trechos Tucuruí/Novo Repartimento manutenção  e conclusão das BRs 230 e 163 e ainda a criação  da Universidade Federal do Xingu, criação do Estado Tapajós. O tratamento Fora de Domicílio (TFD), tem sido insuficiente para a grande demanda que cada município tem com seus munícipes, então será solicitado o aumento desse valor, para melhor atender os pacientes que venham precisar do atendimento de alta complexidade. A distância entre os locais onde o paciente vai receber esse atendimento é o fator principal para essa solicitação.

Nélio Aguiar, prefeito de Santarém e presidente da Famep, destacou que o movimento dos prefeitos deve ser suprapartidário em benefício do cidadão, no qual, vem sofrendo com os arrochos da falta de recursos nos municípios. “Na educação, por exemplo, além de não termos aumento nenhum este ano, ainda tivemos redução do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) ”. Declarou.

Por Ana Freitas

Data: 19 de maio de 2018

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade