Prefeito

FRANCISCO RODRIGUES OLIVEIRA, popularmente conhecido por “CHICO TOZETTI”, nascido em 11 de julho de 1966, na cidade de Esperantinópolis – MA, filho biológico de JOSÉ BARROS e VITURINA SOUZA DE MELO, e filho adotivo de ANTÔNIO RODRIGUES DE OLIVEIRA e RAIMUNDA ANA DE OLIVEIRA, que além de mãe foi uma aplicada servidora pública, contribuindo durante 25 anos como merendeira nas escolas deste município. De 0 a 12 anos de idade Chico Tozetti viveu em sua cidade natal onde cursou até a segunda série do primário.

Chico Tozetti chegou em Pacajá na data de 17 de julho de 1979, acompanhando seus pais que vieram em busca de uma vida melhor, a convite do saudoso amigo, o senhor Ricardo, de família unida e trabalhadora. Ao chegar em Pacajá, Chico Tozetti e sua família residiram em um barraco de palha cedido por um membro da família do senhor Ricardo e ali moraram por seis meses, até seu pai construir uma casa de taipa coberta com cavaco e de chão batido, mas que abrigava muito amor e força espiritual para vencer as dificuldades da vida. Seu Antônio, pai de Chico Tozetti, trabalhava em uma serraria de propriedade do senhor José Caetano. No ano de 1980 o pai e a mãe de Chico Tozetti adoeceram de malária, onde seu pai foi desenganado pelo farmacêutico, um senhor conhecido à época por Machado, já que não havia médicos nessa época em Pacajá. Por não possuir recursos financeiros e ser menor de idade, Chico Tozetti se viu obrigado a tirar um atestado de pobreza e pedir esmolas com o fim específico de cuidar da saúde de seus pais.

Com o atestado de pobreza na mão, Chico Tozetti pediu esmolas por apenas um dia, com a graça de Deus muitas pessoas caridosas o ajudaram. Pode-se citar a senhora Flaudinéia Araújo e o senhor Juvenal (na época, gerente do Comercial Fé em Deus de propriedade do senhor conhecido como Luiz Bracinho). Certamente lembram e podem confirmar essa história. Dessa forma, adquiriu recursos suficientes para tratar de seus pais e com isso conseguiu transferir seu pai para Altamira, deixando sua mãe sob os cuidados do farmacêutico senhor Machado. Com o tratamento médico, seu pai conseguiu recuperar a saúde e ao retornar a Pacajá encontrou sua mãe também recuperada. No mesmo ano, Chico Tozetti e seu pai passaram seis meses trabalhando roçando juquira e coroando cacau na região da então usina de açúcar, hoje município de Medicilândia. Ao retornar para Pacajá seu pai montou um pequeno boteco as margens da rodovia Transamazônica, trabalhando para o sustento da família e ensinando-o desde jovem a responsabilidade e honestidade.

No ano de 1981, Chico Tozetti voltou aos estudos na Escola Julia Gonçalves Passarinho, onde concluiu o então chamado primeiro grau, tendo como professoras a saudosa Maria Lobo dos Anjos, a professora Ana Freire, dentre outras. E como grande incentivadora a segunda mãe, Sra. Vera Lúcia (popular Dona Roxa).

Já no ano de 1982, Chico Tozetti ingressou no grupo de escoteiros mirins, fundado pelo senhor Carlos Tozetti, onde obteve muito conhecimento para uma vida disciplinada e experiência para trabalho em equipe. Ainda em 1982, Chico Tozetti começou a trabalhar na serraria de propriedade do senhor Carlos Joneres Tozetti, na função de carregador de pó de serra fita, sendo esta uma das funções menos almejadas por qualquer trabalhador de serraria, mesmo assim, serviço este digno de um homem que soube trabalhar e melhorar sua vida profissional, porém em momentos difíceis, por ter que conciliar o trabalho e o estudo, a noite ao retornar da escola, o senhor conhecido por “Dú”, gerente da antiga rodoviária e sorveteria de propriedade do senhor Adão Maia e dona Eloísa, não hesitava em oferecer-lhe uma refeição. Nesse mesmo período, Chico Tozetti tornou-se evangelizador na igreja Católica, sob a coordenação do Pe. Afonso de Vree, e foi líder do grupo de jovens, fundando algumas comunidades dentro do município, dentre elas, comunidade Nossa Senhora Aparecida na vicinal Portel no km. 12, e mais duas comunidades na vicinal Boca Rica. Foi um período de bastante aprendizado e dedicação em sua missão enfrentando dificuldades diversas, dentre elas caminhar a pé cerca de 17 km para cumprir com sua responsabilidade pastoral entre as comunidades. Em seu trabalho, Chico Tozetti foi sendo promovido em suas funções, e aos 21 anos assumiu a gerência geral da empresa, e por volta de 1990 tornou-se sócio minoritário da empresa com ações adquiridas como prêmio pelo seu desempenho. Neste mesmo período, Chico Tozetti ficou conhecido dentro e fora do Estado, por conta de suas atividades empresariais, fato este, que o faz contar com muitos amigos ainda hoje espalhados no Brasil inteiro. Chico Tozetti já era pai de três filhos sendo:

Allyny, Weverson e Leonardo quando em 1997, se casou com a senhora Minéia Barbosa Paes, com quem teve três filhos: Jó Peterson, Arthur e Hévellin. Esposa fiel e companheira com quem vive e tem orgulho de dividir os momentos de alegria e tristeza, com a graça e as bênçãos do Senhor Jesus. Trabalhando na empresa Tozetti por um longo período, foi que Chico adquiriu o apelido de CHICO TOZETTI, mantendo-se como sócio até o ano de 1999. E ao se desligar da empresa, devolveu gratuitamente as ações que possuía, como forma de gratidão pela oportunidade que lhe fora oferecida, saindo assim capacitado para administrar seu próprio empreendimento. Como empreendedor Chico Tozetti montou o Balneário Flor de Lís, promovendo vários eventos, dentre eles, uma das maiores festas de réveillon da cidade, montou sua casa de Show Flor de Lís, com capacidade para um público de 5.000 (cinco mil) pessoas. Chico Tozetti é proprietário dos loteamentos Flor de Lís e Presente de Deus. Investe atualmente em empreendimentos que geram empregos a vinte famílias da cidade de Pacajá. Em 2006, Chico Tozetti passou por um dos momentos mais difíceis de sua vida, quando teve um aneurisma cerebral. Esse foi um acontecimento que mobilizou a sociedade pacajaense em especial as igrejas Evangélicas e a igreja Católica com suas comunidades. E através das orações, Deus restabeleceu a sua saúde por completo, e como forma de gratidão a Deus pela benção alcançada, doou para comunidade católica a então casa de show Flor de Lís, que passou a se chamar “Centro Social Paroquial”, na mesma ocasião doou para o Conselho de Pastores uma chácara de 20.000² (vinte mil, metros quadrados).

Em 2007, Chico Tozetti voltou as atividades na igreja Católica, onde lhe foi confiado o ministério extraordinário da eucaristia e junto com sua esposa Minéia, assumiu a função do casal coordenador da pastoral familiar, valorizando bastante a palavra de Deus e a oração em família, aprendendo tomar decisões sensatas em favor da comunidade, sem perder a autoridade e a serenidade.

Foram muitas as ações positivas de Chico Tozetti como empreendedor, porém seu compromisso em manter seu bom caráter como filho, esposo, pai, cristão e cidadão, sempre priorizando a família, é conhecido de toda sociedade, não recaindo sobre ele qualquer conduta negativa que venha a denegrir sua reputação. Em campanhas políticas anteriores, Chico Tozetti sempre recebia convites de partidos políticos de Pacajá para engajar na carreira política, mas entendia que ainda não era o momento mais propício. Nesse período atual não foi diferente, os convites ocorreram, e desta vez se sentindo preparado e tocado pelo Espírito Santo de Deus no desejo de poder retribuir ao município que o acolheu e onde construiu toda sua vida, Chico Tozetti e sua família decidiram colocar seu nome à disposição da sociedade, sempre usando a frase:

“SE DEUS PERMITIR, GOVERNAREMOS JUNTOS O PACAJÁ”.


Acessibilidade
Acessibilidade